UNIVERSITÁRIOS NEGROS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS E SUAS BARREIRAS SOCIAIS PARA O LAZER DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

Autores

  • Olívia Cristina Ferreira Ribeiro Faculdade de Educação Física - Unicamp
  • Dario Mondini Rosa Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Lazer, Juventudes, Racismo, Covid-19

Resumo

A pandemia de Covid-19 modificou bruscamente o cotidiano da população mundial, inclusive a forma como vivenciamos o lazer. Parte de um estudo mais amplo, essa pesquisa qualitativa teve como objetivo analisar como se manifestaram as barreiras sociais no lazer dos estudantes negros da Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas, antes e durante a quarentena. Consideramos o lazer um direito social e um fenômeno transformador da cultura. Então, foi realizada uma pesquisa bibliográfica e de campo por meio de entrevistas semiestruturadas. Antes da pandemia, a falta de tempo, o fator econômico, as barreiras simbólicas e o racismo foram as dificuldades mais evidenciadas. A barreira social mais citada na quarentena foi a falta de tempo e a dificuldade de acesso aos espaços que limitaram as vivências de lazer, principalmente relacionadas aos interesses físico-esportivos e turísticos. As vivências sociais e artísticas passaram a ser realizadas de forma online.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olívia Cristina Ferreira Ribeiro, Faculdade de Educação Física - Unicamp

Docente na graduação em Educação Física, responsável pelas disciplinas ligadas ao lazer. Departamento de Educação Física e Humanidades. Faculdade de Educação Física (FEF), Universidade Estadual de Campinas, SP.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

Ferreira Ribeiro, O. C., & Mondini Rosa, D. (2024). UNIVERSITÁRIOS NEGROS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS E SUAS BARREIRAS SOCIAIS PARA O LAZER DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19. Revista Brasileira De Estudos Do Lazer, 10(03), 188–206. Recuperado de https://www.periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/48549