(IN)TOLERÂNCIA EM CAMPO:

MOVIMENTOS PERSECUTÓRIOS E MANUTENÇÃO DO STATUS QUO NO FUTEBOL

Autores

Palavras-chave:

Racismo, Xenofobia, Futebol

Resumo

Os séculos XVII e XVIII foram marcados pelo lançamento das bases teóricas a respeito do conceito de tolerância que compreendemos na atualidade. O processo histórico foi capaz de gerar novas problematizações e reflexões, enquadrando a temática em diversos espaços da vida social. O objetivo deste estudo foi analisar casos atuais e recorrentes de preconceito, discriminação e perseguição no futebol, com considerável repercussão jornalística, a partir das contribuições da literatura clássica e, principalmente, das mais contemporâneas a respeito da tolerância, com destaque para o autor português Diogo Pires Aurélio. Como recorte, elencou-se três contextos para investigação: a relação de ligas europeias de futebol com atletas que praticam o islamismo; o ato de se punir a vítima que sofre com insultos racistas em campo; e por fim, a estratégia de manutenção de uma ordem social que favoreça aqueles que detêm o poder.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

Peixoto de Oliveira, M. (2024). (IN)TOLERÂNCIA EM CAMPO:: MOVIMENTOS PERSECUTÓRIOS E MANUTENÇÃO DO STATUS QUO NO FUTEBOL. Revista Brasileira De Estudos Do Lazer, 10(03), 147–163. Recuperado de https://www.periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/48566