TEIMOSIA E DIÁLOGOS:

LAZER E POVOS INDÍGENAS

Autores

  • Khellen Cristina Pires Correia Soares Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Estado do Tocantins
  • Beleni Salete Grando Universidade Federal do Mato Grosso https://orcid.org/0000-0002-5491-2123

Palavras-chave:

Povos Indígenas, Lazer, Esporte, Interculturalidade

Resumo

Pensar o lazer a partir das experiências e cotidianos dos povos indígenas é um movimento de teimosia e posição política. Como educadoras professoras mobilizadas no trabalho cotidiano para uma educação antirracista e decolonial, elegemos trazer para dialogar conosco outras vozes, a fim de mobilizar fissuras no pensar e fazer cotidianos desta sociedade, que insiste em relações de apagamento do outro que fica à margem dos bens sociais, culturais e econômicos. Nosso convidado para esse diálogo intercultural com os colegas e leitores do dossiê de “Estudos do Lazer e Relações Étnico Raciais”, é o líder indígena Karkaju Pataxó, uma liderança indígena que milita historicamente para educar os jovens e as comunidades indígenas na re-existência a partir do esporte e do lazer. Buscamos o diálogo intercultural, que possa criar potencialmente fissuras nos movimentos de subalternidade, invisibilidade e colonidalidade, em conversa com o campo dos estudos do lazer sob o sentido e significado do outro, significado que nos inspira para continuar em movimento com os povos originários para aprender-ensinar práticas sociais efetivas para o lazer e para além do esporte, para o bem-viver.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

Soares, K. C. P. C., & Grando, B. S. (2024). TEIMOSIA E DIÁLOGOS:: LAZER E POVOS INDÍGENAS. Revista Brasileira De Estudos Do Lazer, 10(03), 275–286. Recuperado de https://www.periodicos.ufmg.br/index.php/rbel/article/view/49533